Meus 10000 quilômetros de muita satisfação.

Primeiramente a opção, por que Logan?
Estávamos no nosso terceiro Classic, entendam, para nós, automóvel deve estar sempre relacionado a um bom resultado de custo x benefício, e neste caso, era a opção de automóvel que atendia à esta premissa, antes do Logan é claro, pois não associamos carro a ostentação, auto-afirmação ou status, mas sim, ter a solução correta para chegar à onde andamos, como andamos e transportando a nossa bagagem. Minha patroa e eu entendemos que o carro, aproximando aos três anos de uso, já esta na hora de trocar, pois acreditamos que não vale a pena ficar reparando carro em oficina ou parando na estrada por defeitos diversos, que é o quê acontece com os carros após três anos de uso (qualquer modelo). A partir deste conceito, efetuamos a busca pelo novo carro para a família, e neste caso, aumentando, minha esposa estava grávida do segundo filho e voltaríamos a ter problemas com o carrinho de bebê e todas as “bagulhadas” dos meninos, isto é, espaço, fator importantíssimo para a compra de um automóvel para a nossa família. E neste ponto, após teste drive, verificação bem detalhada em todos os concorrentes, o Logan foi imbatível, além de ter os três anos de garantia total, que é o tempo que costumamos ficar com cada modelo.


Os 10000 quilômetros conseguiram ser alcançados com muito espaço, conforto e muita comodidade, sem nenhuma visita para a oficina, ou problema que justificasse alguma reclamação adicional. E neste caso, vamos tentar esclarecer alguns pontos polêmicos sobre o nosso Logan:
Primeiramente os controles dos vidros, onde toda a imprensa especializada identifica que são posicionados de forma diferente e ergonomicamente errados, que acreditamos ser mera convenção, pois acostumamos com esta posição dos dianteiros logo abaixo do rádio e até achamos prático os controles dos vidros traseiros, pois fica mais interessante e simples assumir o controle dos vidros, principalmente para quem tem crianças no banco de trás.
Com relação ao acabamento, não podemos exigir de um automóvel de “entrada” da montadora algo diferente, principalmente se compararmos com os seus concorrentes, e neste caso, em muitos itens, soluções bem mais práticas, vide puxadores das portas, espaço da porta-objeto e porta luvas ou bancos.
Um ponto que não pode deixar de ser relacionado como polêmico, sem duvidas, é a aparência do Logan. Achamos no mínimo, diferente, uns adoram, outros odeiam, mas acreditamos que mesmo não sendo um primor de desenho, baseados nas curvas e tendências atuais, tem seus encantos.
Os problemas identificados nestes 10000 quilômetros foram mínimos, o famoso ruído das molas, que foi reclamação de uma grande parcela dos proprietários dos modelos 2007 e 2008, acompanharam o carro desde os 5000 quilômetros rodados. Muitas vezes irritante, porém, entendemos que não influenciava na segurança do veículo, pois todas as reações da suspensão e direção estavam perfeitas, evidenciando uma falta de ajuste adequado das molas ou calços de borracha das mesmas, causando os rangidos durante o trabalho da suspensão sem comprometer a dirigibilidade. Mesmo assim, a suspensão merece elogios, macia, a suspensão trabalha bem refletindo segurança e firmeza na rolagem, mesmo em alta velocidade. Na revisão, o chefe da oficina me contou que os ruídos eram provenientes da falta de um calço de borracha entre a mola e o prato de apoio, que segundo sua informação, durante a “nacionalização” docarro, este item foi removido para o barateamento do custo (coisas do Brasil), porém, devido aos ruídos gerados pela sua falta, foi necessário a instalação posterior, e passaram a fazer parte do conjunto nos modelos 2009.
O outro problema foi a entrada de poeira no interior do carro pela borracha das portas traseiras, pouca, porém, o suficiente para sujar o banco traseiro, que foi eficientemente resolvido por um ajuste da guarnição de borracha, que deixou as portas com muita pressão ao fechar.
Um ponto significativamente positivo é o consumo do nosso Logan 1.6 8V, que comparando com o Classic 1.0 VHC que tínhamos e usando como referência o nosso trajeto habitual, com gasolina, foi muito semelhante.
Concluindo, o espaço e conforto é que fazem a diferença neste modelo. Com um porta-malas generoso, inclusive com a abertura deste bem maior que a dos seus concorrentes, onde a entrada e saída das bagagens ficam bem facilitadas, aliada a um espaço interno e maciez da suspensão, consumo pequeno, fazem os proprietários do Logan, na sua quase totalidade, muito satisfeitos, comprovando a sua eleição como a melhor compra em 2008.










6 comentários:

  Kleberson

12 de maio de 2009 20:53

Também estou chegando aos meus primeiros 10.000 Km agora nesse mês de Maio/2009! Gostaria de saber de alguém que já fez a revisão como foi, quanto tempo o carro ficou parado e qual o valor pago! Ah, se alguém também colocou o som automotivo na própria concessionária, gostaria de saber qual o preço e se esse som que a Renault vende é de qualidade?

  Carlos Magno da Silva Guerra

17 de maio de 2009 14:01

Olá, completei os meus 10000km no começo de maio. Levei meu carro para a concessionária para a revisão. Queriam cobrar o preço de R$128,00, mas como comprei com a promoçao de 50000KM de revisão grátis, não paguei nada. Só reclamei da concessionária não ter o serviço de leva e traz. O carro deu entrada às 8h e ficou pronto às 15h. Sem problema algum.

No mais, não aconselho colocar o som na concessionária. Eles tem uma merrequinha de som e o alto falante não pode ser superior a 5 polegadas. No meu carro tenho um módulo de potência de 1000W, com os alta falantes de 5polegadas (que é o que cabe no Logan). Assim, o som fica a desejar. No meu ex-pálio o som era bem potente. Mas se você não faz questão de som alto( e só anda com os vidros fechados), tudo bem, pode instalar na Renault mesmo.

Contudo, depois da revisão, reclamei de uns rangidos na suspensão traseira. Agendei a revisão e levei meu Logan (privilege 1,6 8v, Hi-Torque). Para a minha surpresa, ligaram-me avisando que havia uma trinca no meu eixo traseiro ???? que precisava ser consertado, sem custo algum, mas que não havia peça no estoque, com previsão de entrega de 5 a 7 dias ÚTEIS. Recomendaram não andar com o carro até o reparo, pois era perigoso. Achei um absurdo. Por vários motivos. Primeiro o próprio defeito. Como um eixo de um carro zero pode trincar assim? A primeira revisão não viu o problema? Meu carro não é de boy, uso para o ir ao serviço e levar meus filhos para a escola e esposa ao serviço. Faço esporádicas viagens com o carro (a mais longa de 1000KM de BH a Porto Seguro), nada de mais.
Por fim, para ficar mais chateado, fiquei sem o carro no fim de semana (precisei alugar um, pois meu filho tinha uma cirurgia marcada para o dia seguinte e achei desaconselhável ficar sem carro) e só Deus sabe por quanto tempo. A Renoult assistence não resolveu o meu problema. Liguei para eles solicitando um carro reserva e eles vieram com um monte de burocracia. Nem sei se vão me atender. Ora, se o carro está na concessionária, foi avaliado pelo consultor deles, detectado o problema, sem previsão de conserto, por que eles não tem a peça, o próprio consultor desaconselhou o uso do carro, por que nao liberar logo o carro reserva??? Gostei muito do Logan (mais do que o Siena), mas a assistência está deixando a desejar. É algo que deve ser pesado na próxima compra.

  Anônimo

2 de janeiro de 2010 19:55

"ficar reparando carro em oficina ou parando na estrada por defeitos diversos, que é o quê acontece com os carros após três anos de uso (qualquer modelo)" Pra quem não sabe cuidar tem que ficar parando mesmo. Manutenção preventiva deve ser feita seja em carro novo (em caso de recall ou devido aos km rodados) ou seja em carro antigo. Das duas uma: ou você está admitindo que compra um carro, não faz manutenção preventiva e vende depois de 3 anos para o primeiro panaca que aparecer (o que é má fé), ou você está admitindo que prefere um carro "zero" a um usado (ou seminovo como queira chamar) porque pressupõe que os segundos darão maior dor de cabeça. Seja qual for o caso, a ignorância é impar. Ignorando isso, que bom que esteja feliz pelo Logan, é um carro bom mesmo, apesar de ser Renaut.

  Sergio Cunha

16 de fevereiro de 2010 12:26

Também estou muito satisfeito com o meu Logan 2008/09. Falta pouco para os 10.000 e não tive nenhum problema. Só lamentei ter comprado o carro "pelado" e agora a concessionária diz que "não há condições técnicas para instalar o ar condicionado". Será que relamente não há nenhuma alternativa?
Sergio - Petrópolis

  Anônimo

13 de junho de 2010 19:05

tenho um logan 2009/2010 chegando a 10.000km e só tem me dado problema. ele nao liga as vezes e tenho que levar na concessionaria para reprogramar nao sei o que!!! agora está com problemas para subir morros. dessa forma, jamais comprem um Logan!!! foi o pior carro que tive. e pelo que pesquisei esses problemas sao de série 2009
fiquem alerta
giselle

  Anônimo

10 de setembro de 2010 23:13

comprei um logan novo 2011 o som original não tocava o cd levei na concessionária globo renalt em Curitiba no mínimo para trocar por um novo mais não foi bem assim tive que deixar o som do carro lá e estou esperando uma análise que vem de São Paulo e já se passaram 25 dias e até agora nada é muito descaso para com o consumidor.